quinta-feira, 7 de julho de 2016

Os 17 alvos de Dilma e Temer na batalha final

Na reta final do processo de impeachment, dois lados se concentram em senadores que podem mudar voto
El País - Afonso Benites
Enquanto a Comissão do Impeachment do Senado encerra sua fase de instrução com a presidenta afastada Dilma Rousseff (PT) dizendo ser injustiçada, os aliados da petista e do presidente interino Michel Temer (PMDB) articulam nos bastidores pelos votos de 17 senadores que sinalizaram que poderiam mudar de lado no julgamento do impeachment. Rousseff mira especificamente em nove parlamentares, Temer, em quatro, e ambos disputam o voto de outros quatro.
Para se configurar o impeachment são necessários ao menos 54 votos dos 81 senadores. Quando o Senado admitiu a abertura do processo e Rousseff foi automaticamente afastada, 55 entenderam que ela deveria ser alvo de uma investigação jurídico-política e 22 foram contrários. Isso não significa, no entanto, que esses congressistas já admitiam de antemão que ela cometera os crimes de responsabilidade dos quais é acusada.
No próximo dia 2 de agosto, a Comissão votará o relatório do senador Antônio Anastasia (PSDB-MG), que será pelo impedimento da petista. A expectativa é que, na segunda quinzena de agosto, o plenário aprecie a questão em definitivo. Até lá, porém, muitas negociações deverão ser feitas. As diferenças, são o que cada um dos principais interessados tem a oferecer.

QUEM SÃO OS SENADORES POR QUEM DILMA E TEMER BRIGAM
 Assediados por Dilma
Acir Gurgacz
PDT
RO
Antônio Carlos Valadares
PSB
SE
Dário Berger
PMDB
SC
Ivo Cassol
PP
RO
Omar Aziz
PSD
AM
Raimundo Lira
PMDB
PB
Reguffe
S/partido
DF
Roberto Rocha
PSB
MA
Sérgio Petecão
PSD
AC
Assediados por Temer
Armando Monteiro
PTB
PE
João Alberto Souza
PMDB
MA
Otto Alencar
PSD
BA
Roberto Muniz
PP
BA
Assediados por ambos
Eduardo Braga
PMDB
AM
Jader Barbalho
PMDB
PA
Cristovam Buarque
PPS
DF
Wellington Fagundes
PR
MT

Nenhum comentário:

Postar um comentário