segunda-feira, 9 de maio de 2016

Dilma pede cautela sobre decisão de Maranhão

O Globo
A presidente Dilma Rousseff reforçou na manhã desta segunda-feira, em solenidade no Planalto, que está em curso um golpe de Estado. Dilma garantiu que vai ter ainda “muita luta”, que está disposta a lutar “até o fim” e defender a democracia. Sobre a decisão do presidente interino da Câmara de anular a tramitação do impeachment, Dilma pediu cautela.
“Eu soube agora, da mesma forma que vocês souberam, apareceu nos celulares que todo mundo tem aqui, que o recurso foi aceitado e que, portanto, o processo está suspenso”.
“Gente, eu não tenho essa informação oficial. Estou falando aqui porque eu não podia, de maneira alguma, fingir que eu não estava sabendo da mesma coisa que vocês estão. Mas não é oficial. Não sei as consequências. Por favor, tenham cautela. Nós vivemos uma conjuntura de manhas e artimanhas. Por favor”.
“Está em curso um golpe de Estado. Como dizem os alemães. Os alemães dividem os golpes entre quentes e frios. Golpes quentes são os golpes armados. Golpe frio é o golpe que se usa de argumentos aparentemente legais para depor uma presidente legitimamente eleita.
Por causa dos fortes gritos do Salão Nobre lotado, a presidente pediu silêncio para que pudesse continuar seu discurso.
“Gente, eu não tenho garganta. Eu vou pedir, companheiros, eu vou pedir então um pouquinho de silêncio. A minha voz está fraca. Eu tenho um limite para falar mais alto. Depois nós tornamos a gritar”.
“Pelo amor de Deus, gente. Eu estou tentando... (falar)”.
A presidente disse que a disputa será dura e cheia de dificuldades. “Peço encarecidamente aos senhores parlamentares e a todos nós uma certa tranquilidade para lidar com isso”.
“É fundamental que a gente perceba que as coisas não se resolvem assim. Vai ter muita luta, vai ter muita disputa”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário