quarta-feira, 4 de maio de 2016

Dilma a Lula, por telefone: é preciso reagir até o fim

Presidente criticou duramente a ofensiva do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sobre o Palácio do Planalto

O Estado de S.Paulo 
A presidente Dilma Rousseff criticou duramente, nesta terça-feira, 3, a ofensiva do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sobre o Palácio do Planalto. Em conversa por telefone com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está em Brasília, Dilma disse que é preciso reagir a ataques “infundados” e não deixar nenhuma acusação sem resposta.
Convencida de que a Comissão Especial do Impeachment instalada no Senado aprovará, na sexta-feira, 6, o parecer recomendando sua deposição e que o plenário da Casa também votará por seu afastamento, no dia 11, Dilma reforçou o discurso da resistência.
“Eu vou resistir até o fim”, repetiu a presidente, nesta terça-feira, na conversa com Lula. Antes dessa ligação, o ministro-chefe do Gabinete Pessoal da Presidência, Jaques Wagner, também esteve com Lula, no hotel Royal Tulip, em Brasília. “Estou à disposição das autoridades e não acredito na aceitação definitiva do meu nome no processo”, disse Wagner. “Estou tranquilo e confio nas investigações.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário