segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Recessão deve ofuscar benefícios da Olimpíada

Evento não amenizará a crise

De O Estado de S.Paulo - Mateus Fagundes e Maria Regina Silva
Ainda que seja o maior evento esportivo do planeta, a Olimpíada não será capaz de dar impulso à economia brasileira em 2016, na opinião de especialistas ouvidos pelo ‘Broadcast’, serviço em tempo real da ‘Agência Estado’. A limitação do evento à cidade do Rio de Janeiro, a recessão e o impasse político em Brasília impedem que a onda de otimismo típica do evento e o legado de infraestrutura sejam catalisados pelos agentes econômicos para atenuar a crise.
O tom mais pessimista é muito diferente daquele dos anos anteriores à realização da Copa do Mundo, evento que foi apontado como uma grande oportunidade de o País se apresentar para o turismo e os investimentos internacionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário