quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

QUANTAS VEZES VOCÊ PODE ERRAR?

6 coisas que você jamais deve dizer para alguém em depressãoPara saber quando alguém erra é necessário ter algo escrito e determinado do que seja certo (um suposto consenso). A grande dificuldade é conseguir unificar o que seja certo, o que é certo para um pode não ser para outro.
E por que é assim? Simples! O princípio (fundamento) é o mais importante dos pensamentos porque dele derivam os demais. Se você chegar ao fundamento você encontrara o que é o certo. O fundamento (princípio) é o que traz a verdadeira consciência, pois, ele é aquilo que acolhe a todos na mesma proporção (aquilo que a natureza determinou de forma natural para cada ser) ex: não existe o feio ou bonito porque todos são iguais em sua essência.

Portanto através do fundamento temos como determinar uma suposta verdade (o que seja certo). Mas por que então existe tanta discordância? Porque na maioria das vezes partimos de princípios antagônicos. Assim existem vários certos que não são tão certos porque certamente alguns destes certos partem de princípios equivocados.
Diante deste dilema nasce à ignorância daqueles que não enxergam o que é certo (princípio equivocado). Então teremos que admitir ou supor um exemplo aonde todos concordam que algo seja certo para sabermos que alguém realmente errou. Vamos supor qualquer tipo de seqüestro que coloque a vida de alguém e risco.
Assim em nossa sociedade este indivíduo teria cometido um ato errado perante todos.  E agora o que devemos fazer? Estabelecer uma punição? Retirá-lo de circulação? Perdoar ele? Dar uma nova chance? Tentar recuperá-lo através da educação que dispomos que já parece não ser grande coisa? Mas e se depois de todas estas tentativas ele voltar a cometer o mesmo erro ou qualquer outro semelhante?
E agora o que deveríamos fazer? Estabelecer uma nova punição? Retirá-lo novamente de circulação? Perdoar novamente ele? Dar uma segunda chance?  Tentar recuperá-lo novamente através de uma educação que já demonstrou ser ineficiente da primeira vez que tentou recuperá-lo?
Assim eu poderia infinitamente bater na mesma tecla; mas se eu já estou cansado da mesma ladainha, provavelmente se eu continuar essa história vocês abandonariam este texto.
Percebe que não há solução; e é por isso que eu digo: Precisamos urgentemente evoluir, pois estamos a séculos inertes nos mesmos problemas sempre com o mesmo caminho equivocado de soluções.
Ou alcançamos os fundamentos que levam a evolução ou nadaremos eternamente em um mar de egos sem fim. (Por:Luis Fernando)

Nenhum comentário:

Postar um comentário