segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Cunha recebia para proteger empresas, diz Janot

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), apoiou duas alterações no texto final de uma medida provisória de 2013 que acolheram pedidos feitos pela Construtora Norberto Odebrecht.
O lobby da empreiteira junto ao parlamentar, que na época era o relator da MP, foi revelado na petição protocolada no STF na última quarta-feira (16) pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que tenta afastar Cunha da presidência da Câmara.
Para o procurador-geral, Cunha "atuava como 'longa manus' [executor de ordens] dos empresários, interessados em fazer legislações que os beneficiassem, em claro detrimento do interesse público. E Eduardo Cunha recebia valores, seja por doações oficiais, para si ou para os deputados que o auxiliavam (também este o motivo pelo qual possui tantos seguidores), ou por meio de pagamentos ocultos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário