terça-feira, 20 de outubro de 2015

Graça lamenta a Moro "sujeirada" na Petrobras

A ex-presidente da Petrobras Graça Foster disse em depoimento ao juiz Sergio Moro nesta segunda (19) que os efeitos da Operação Lava Jato são "extremamente positivos" para a empresa e lamentou a "sujeirada" em obras da companhia.
Graça foi ouvida como testemunha, por meio de videoconferência, em uma ação penal relacionada à empreiteira Andrade Gutierrez.
A ex-presidente contou que decidiu renunciar em outubro do ano passado, mas só "conseguiu" sair da empresa em fevereiro deste ano. "Em um processo de tantas denúncias, depois que veio os efeitos da Operação Lava Jato, que eu reconheço como extremamente positivos para a Petrobras, nós fizemos um trabalho de investigação interna", disse.
Em outro momento, ao falar sobre o período em que foi diretora de Óleo e Gás da empresa, até 2012, disse que foram feitos "belos trabalhos". "A gente só lamenta essa sujeirada toda que prejudicou a todos", disse.
Questionada pelo juiz e pelas partes do processo, ela disse que não tinha desconfiança sobre os ex-diretores que hoje são acusados de corrupção.
Afirmou que o então presidente da companhia José Sérgio Gabrielli dava "muita liberdade" aos diretores, enquanto ela era "muito chata" e acompanhava os assuntos mais de perto.  (Da Folha de S.Paulo - Bela Megale e Felipe Bachtold)

Nenhum comentário:

Postar um comentário