sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Empresas ligadas a governador investigadas pela PF

Da Folha de S.Paulo – Gabriel Mascarenhas e Bela Megale
Firmas teriam feito repasses a governador petista em troca de empréstimos no BNDES, segundo investigadores
A Polícia Federal deflagrou nesta quinta (1º) a terceira fase da Operação Acrônimo, que investiga o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), a primeira-dama, Carolina Oliveira, e o empresário Benedito Rodrigues, conhecido como Bené.
Entre os alvos de busca e apreensão estavam a casa do presidente da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais), Mauro Borges. Ele sucedeu Pimentel como ministro do Desenvolvimento no governo Dilma Rousseff.
Também foram cumpridos nove mandados de condução coercitiva, quando a pessoa é levada a prestar esclarecimentos. Entre eles estavam o dono da Caoa –investigada desde fases anteriores da operação–, Carlos Alberto de Oliveira Andrade, e sua mulher.
Houve buscas ainda na CBF (Confederação Brasileira de Futebol), no Rio, e nas sedes do Grupo Casino –controlador do Grupo Pão de Açúcar–, da Marfrig, da Odebrecht Ambiental e da Camargo Corrêa, em São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário