segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Dilma: É absurdo impedir livre trânsito de pessoas

Do G1
A presidente Dilma Rousseff afirmou, hoje, no primeiro discurso de um chefe de Estado na 70ª Assembleia Geral da ONU, que é um "absurdo imperdir o livre trânsito de pessoas", ao comentar a situação de refugiados que tentam chegar a países da Europa.
Nas últimas semanas, a Europa tem recebido milhares de imigrantes ilegais saídos de países em conflito na África e Oriente Médio. A emigração em massa vem gerando acirramento da repressão nas fronteiras europeias e acidentes envolvendo imigrantes que se arriscam para chegar a um novo país.
"Em um mundo onde circulam livremente mercadorias, capitais, informações e ideias, é absurdo impedir o livre trânsito de pessoas", disse a presidente.
Dilma voltou a declarar, a exemplo do que fez em discursos em reuniões na ONU no fim de semana, que o Brasil está aberto para receber imigrantes. "O Brasil é um país de acolhimento, um país formado por refugiados. Recebemos sírios, haitianos, homens e mulheres de todo mundo. Assim como abrigamos há mais de um século europeus, árabes e asiáticos, estamos abertos e de braços abertos para receber refugiados. Somos um país multiétnico", afirmou a presidente, que foi aplaudida em seguida.  
Ainda falando sobre geopolítica mundial, Dilma avaliou que a expansão do terrorismo impõe desafio aos países membros das Nações Unidas. Ela citou o Estado Islâmico e disse que não se pode ter complacência com "atos de barbárie".
A expansão do terrorismo que mata homens, mulheres e crianças, destrói patrimônios e expulsa milhões de pessoas sugere que a ONU está diante de um grande desafio. Não se pode ter complacência com atos de barbárie, como aqueles perpetrados pelo Estado Islâmico e por outros grupos associados", afirmou Dilma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário