terça-feira, 28 de julho de 2015

O que falta explicar

Dora Cavalcanti, advogada de Marcelo Odebrecht, ao tentar rechaçar em sua entrevista coletiva de anteontem as interpretações que a PF fez das anotações do seu cliente nos oito celulares que possuía (repita-se: Marcelo usava oito celulares), afirmou que “Vaca 2,2 milhões?” referia-se a uma nota publicada no Radar, diz Lauro Jardim, na Veja Online. Argumenta o colunita: 

"Beleza. Em 1º de junho de 2013 foi publicada aqui uma informação sobre a compra feita por Maurício Odebrecht, irmão de Marcelo, de uma vaca nelore por um valor inusitado de 2,2 milhões de reais (leia a nota aqui). Marcelo poderia estar, de fato, interessado em detalhes sobre o leilão, como disse Dora.
O problema é que agora cabe à advogada da Odebrecht explicar as outras referências a um certo Vaca que constam das anotações de Marcelo – e que nada têm a ver com um animal (citações, aliás, próximas de outras em que ele fala de “Vaccari” e “Vaccarezza”). Por exemplo:
*40 para Vaca (parte para Feira)
*Liberar p/Feira pois meu pessoal não fica sabendo. Deixar prédios com Vaca.
Chama a atenção que entre mais de 500 anotações de Marcelo Odebrecht, a defesa consiga apontar apenas um erro de interpretação dos agentes da PF (leia mais aqui). "  

Nenhum comentário:

Postar um comentário