quinta-feira, 9 de abril de 2015

Dilma e Temer: pacote para acalmar PMDB

Vice-presidente tenta desarmar novas rebeliões com agrados a Renan e Cunha

Um dia após ser nomeado como novo articulador político do governo, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) começou a negociar com a presidente Dilma Rousseff um pacote de medidas para acalmar o PMDB, partido que impôs vários revezes ao Palácio do Planalto nos últimos meses e que não viu com bons olhos a indicação de Temer.
O vice acertou com Dilma a nomeação, nos próximos dias, do ex-deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) para o Ministério do Turismo, para atender a bancada do PMDB na Câmara.
Além disso, após um pedido de seu vice, Dilma chamou o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para uma conversa na tarde desta quarta-feira (8). Ele vinha cobrando publicamente maior participação do PMDB no governo.
A presidente, segundo a Folha apurou, planejava dizer a Renan que o atual ministro do Turismo, Vinicius Lages, seu afilhado político, seria acomodado em outro posto com a indicação de Henrique Alves para a vaga.
Dilma também tinha a intenção de sinalizar quem será o substituto de Joaquim Barbosa no Supremo Tribunal Federal, podendo optar por um nome que tenha aceitação entre peemedebistas e petistas.
Vice-presidente tenta desarmar novas rebeliões com agrados a Renan e Cunha
Um dia após ser nomeado como novo articulador político do governo, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) começou a negociar com a presidente Dilma Rousseff um pacote de medidas para acalmar o PMDB, partido que impôs vários revezes ao Palácio do Planalto nos últimos meses e que não viu com bons olhos a indicação de Temer.
O vice acertou com Dilma a nomeação, nos próximos dias, do ex-deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) para o Ministério do Turismo, para atender a bancada do PMDB na Câmara.
Além disso, após um pedido de seu vice, Dilma chamou o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para uma conversa na tarde desta quarta-feira (8). Ele vinha cobrando publicamente maior participação do PMDB no governo.
A presidente, segundo a Folha apurou, planejava dizer a Renan que o atual ministro do Turismo, Vinicius Lages, seu afilhado político, seria acomodado em outro posto com a indicação de Henrique Alves para a vaga.
Dilma também tinha a intenção de sinalizar quem será o substituto de Joaquim Barbosa no Supremo Tribunal Federal, podendo optar por um nome que tenha aceitação entre peemedebistas e petistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário