sexta-feira, 13 de março de 2015

Procuradoria pede investigação sobre senador Fernando Bezerra

A expectativa é que nos próximos dias Teori defira a investigação e torne público os termos em que Janot pede a abertura de inquérito


Folhapress

Costa disse que foi procurado por Bezerra para viabilizar recursos para a campanha de reeleição do falecido governador de Pernambuco Eduardo Campos - Foto: José Cruz/ABr

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao STF (Supremo Tribunal Federal) um pedido para investigar se o senador Fernando Bezerra (PSB-PE) participou do esquema de desvio de recursos da Petrobras desvendado pela Operação Lava Jato.

Como o pedido foi protocolado nesta quinta-feira (12), o ministro Teori Zavascki, responsável pela Lava Jato no STF, ainda não analisou o caso. A expectativa é que nos próximos dias ele defira a investigação e torne público os termos em que Janot pede a abertura de inquérito sobre o senador.

Em conversas reservadas, a presença de Bezerra na Lava Jato chegou a ser questionada por deputados e senadores. Isso porque, quando foi derrubado o sigilo das delações premiadas do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef, o parlamentar era citado, mas não foi pedida investigação sobre ele na chamada "lista do Janot".

Pessoas próximas aos procuradores da Lava Jato disseram à reportagem que, na semana passada, quando os pedidos foram enviados ao STF, ainda restava a realização de uma diligência para buscar elementos que corroborassem a suposta participação de Bezerra no esquema.

Como se tratava de um único caso, os procuradores preferiram enviar a "lista" para o STF e, posteriormente, pedir a investigação sobre Bezerra.

COSTA

Num dos depoimentos de Paulo Roberto Costa, o delator disse que foi procurado por Bezerra para viabilizar recursos para a campanha de reeleição do falecido governador de Pernambuco Eduardo Campos.

Costa disse que posteriormente soube, através de Youssef, que R$ 20 milhões teriam sido entregues à campanha.

O senador não havia se manifestado até às 19h30 desta quinta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário