quinta-feira, 12 de março de 2015

Jovem gaúcho arrecada dinheiro na internet para tratar câncer nos EUA

Tratamento no exterior é a última esperança de cura para Leonardo. Jovem precisava comprovar que tinha R$ 50 mil para obter visto americano.


Felipe Truda
Do G1 RS
Leonardo luta contra o câncer (Foto: Reprodução/YouTube)
Leonardo precisa luta contra o câncer
(Foto: Reprodução/YouTube)
A família do programador gaúcho Leonardo Konarzewski, de 21 anos, venceu nesta quarta-feira (11) uma batalha na guerra contra o câncer. Depois de arrecadar pelo menos R$ 36 mil em uma campanha lançada na internet, o jovem de Porto Alegre conseguiu um empréstimo do valor que faltava para poder embarcar para os Estados Unidos, onde passará por um tratamento considerado sua “única possibilidade de cura”. 

Por volta das 20h30 desta quarta-feira (11) Leandro já havia obtido o visto americano e estava em São Paulo tentando embarcar para o país. O primeiro pedido de entrada nos Estados Unidos havia sido negado na semana passada porque, segundo a família, ele não tinha os R$ 50 mil necessários para os custos iniciais do tratamento. 

"Nesse momento estou em Guarulhos, o visto foi concedido hoje e foi tudo muito rápido, graças a campanha e a incrível repercussão tudo está sendo mais fácil, nesse momento só posso fazer um agradecimento geral, pois são muitas pessoas! Embarco logo mais para os EUA. Vou criar um blog para todos vocês acompanhar a evolução do meu tratamento", escreveu Leonardo em sua página no Facebook. 

O dinheiro será usado para pagar os gastos com o hospital. Parte do valor foi arrecadada com a venda do carro do pai e graças a uma campanha na internet, iniciada no último domingo (8). O jovem relata seu drama em uma página que contém o número da conta bancária para doações. Os pedidos seguem sendo feitos.

"Quero enfatizar que esses R$ 50 mil são o mínimo. O consulado (americano) exige que este valor seja levado para pagar a clínica, mas os gastos podem ser ainda maiores. Vamos manter a campanha porque com certeza haverá mais gastos", destaca o analista de sistemas Telmo Rodrigo Konarzewski, de 28 anos, irmão de Leonardo. 

 O drama de Leonardo começou em julho de 2013, quando o jovem descobriu que tinha linfoma de Hodgkin, um tipo de câncer que ataca o sistema linfático. Ele passou por seções de quimioterapia e radioterapia até que, em abril do ano passado, o tumor desapareceu. Seis meses depois, no entanto, a doença voltou com mais força e ele foi avisado pelo médico que o tratamento padrão não funcionaria mais.

A esperança de cura surgiu quando o médico de Leonardo descobriu que está sendo testado nos Estados Unidos um medicamento que vem dando resultado para linfoma de Hodgkin. A expectativa de cura, que no Brasil é nula, pula para entre 75% e 85%.

Em contato com o hospital, ele foi informado que ele precisava de pelo menos US$ 7 mil para dar início ao tratamento. No entanto, ao tentar obter o visto, o desenvolvedor ouviu do Consulado dos Estados Unidos, em São Paulo, que precisaria de R$ 50 mil para poder embarcar.

"Foram desumanos comigo, porque para turismo, as pessoas conseguiam visto em cinco minutos, mas para mim, em um caso de saúde extremo de urgência, tem toda essa burocracia. Fui o último a sair do consulado, implorando para conseguir. No final, a gente já tinha comprado as passagens, mas tivemos de voltar para Porto Alegre", lamentou, no vídeo.
A família torce para que o tratamento dê certo, e espera que os gastos não aumentem muito. Em seu depoimento, Leonardo afirma que o valor pode chegar perto dos R$ 600 mil. "Com certeza eles vão pedir muito mais. Esse valor pode chegar a US$ 200 mil, já houve um caso, similar ao meu", contou o jovem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário