terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Jango


 O mistério vai persistir, porque as três linhas de perícia foram incapazes de produzir a resposta definitiva sobre a causa da morte de João Goulart. A identificação apenas de drogas para cardíacos não nega, como reconhecem as perícias, possíveis vestígios de veneno extintos pelo tempo. Mas não se justifica utilizar essa ressalva, que segue o critério científico das possibilidades hipotéticas, para questionar a validade com que, desde a exumação técnica do ex-presidente, todo o trabalho foi conduzido pela Comissão da Verdade e demais entidades envolvidas.


A família Goulart tem todo o direito de manter suas suspeitas e a procura de dar-lhes resposta final. Mas a exumação antes do que seriam outras investigações, por exemplo na Argentina, não influiu no exame pericial e não o reduz em nada.  (Jânio de Freitas - Folha de S.Paulo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário