domingo, 30 de novembro de 2014

Petrolão: Corrêa também pegava dinheiro, diz jornal

 O ex-deputado Pedro Corrêa era um dos que pegavam dinheiro no Posto da Torre, em Brasília, segundo disse  Ediel Viana da Silva, braço-direito do doleiro Carlos Habib Chater, nesta sexta-feira, em depoimento à Justiça Federal do Paraná.  Corrêa presidiu o diretório nacional do Partido Progressista (PP). Chater está preso na PF do Paraná. A informação é do jornal o Globo deste sábado.

No depoimento anterior, Ediel afirmara que João Claudio Genu (ex-chefe de gabinete da liderança do PP na Câmara, também condenado no mensalão) e Pedro Corrêa, iam ao posto. Ao falar sobre Corrêa, afirmou que ele havia estado algumas vezes com Chater e que depois “saíram valores”.
Pedro Corrêa é o segundo mensaleiro do PP a ser flagrado pela Operação Lava-Jato. O primeiro foi o deputado José Janene (PP-PR), já falecido, apontado como idealizador do esquema operado pelo doleiro Alberto Youssef.
Pedro Corrêa, 66 anos, foi condenado a sete anos e dois meses de prisão no processo do mensalão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e a pagar multa de R$ 1,13 milhão. Ele, que presidia o PP quando estourou o escândalo, autorizou um ex-assessor do partido, João Cláudio Genu, a sacar R$ 700 mil das contas de Marcos Valério, operador do mensalão e também condenado.

Corrêa não foi localizado pelo GLOBO em Pernambuco, onde cumpre pena em regime semiaberto. Na sede do PP em Pernambuco, ninguém atendeu. O mesmo aconteceu no gabinete do deputado Eduardo da Fonte, líder do PP na Câmara. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário