terça-feira, 28 de outubro de 2014

Juntar os cacos

 Ainda abalados pela derrota, os partidos que apoiaram Aécio Neves (PSDB) começam a se articular para mais quatro anos na oposição. Há consenso de que a divisão do país na eleição presidencial não vai se reproduzir no Legislativo, onde Dilma Rousseff continuará com maioria folgada. 

"Nosso desafio é não limitar a oposição aos corredores do Congresso. Precisamos ir às ruas e dialogar com o eleitorado que votou na mudança", diz o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM). A informação é de Bernardo Mello Franco, hoje na Folha de S.Paulo. revela o colunista que os oposicionistas argumentam que é preciso manter o tom das críticas a Dilma após o período eleitoral "Não adianta voltar para casa e deixar para reorganizar a tropa na próxima eleição", afirma um parlamentar. 

'Apesar da desvantagem numérica, a oposição promete voltar a dar dor de cabeça ao governo no Senado. "Voltaremos a ter o protagonismo do segundo mandato de Lula", anima-se José Agripino (DEM-RN).'

Nenhum comentário:

Postar um comentário