sexta-feira, 29 de abril de 2016

“É preciso atentado à Constituição”, diz Cardozo

Do G1
O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, afirmou, há pouco, na comissão especial do impeachment no Senado, que para haver impeachment é necessário um “atentado” à Constituição, o que segundo o ministro, não aconteceu durante o governo Dilma Rousseff.
“Para que exista impeachment, é necessário que nós tenhamos um atentado à Constituição, portanto uma situação de gravidade extrema por parte do presidente [...] Tem que ser um atentado doloso”, afirmou Cardozo. O AGU também disse que sem que haja a afronta grave à Constituição o processo de impeachment é um “golpe”.
“Não há crime de responsabilidade [...] Em se consumando [o impeachment] nesses moldes, haverá golpe”, declarou.
Logo após a apresentação de Cardozo, o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) pediu a palavra para questionar a fala.
“O senhor está dizendo que o processo é um golpe? Vá ao Supremo Tribunal Federal dizer que é um golpe. Não é golpe. O senhor é advogado-geral da União, não advogado-geral de Dilma”, protestou Aloysio.
A comissão especial analisa as acusações contra o governo Dilma dentro do processo de impeachment. O colegiado votará um relatório recomendando a instauração ou o arquivamento do processo pelo Senado.
Caso o parecer seja favorável à abertura do julgamento e a maioria simples (41 dos 81 senadores) aprove o relatório da comissão no plenário principal do Senado, a petista será afastada por 180 dias e o vice Michel Temer assumirá a Presidência da República.
Cardozo também classificou como “nulo” o processo enviado pela Câmara ao Senado. Para Cardozo, vários parlamentares, que em um processo de impeachment têm papel de juiz, declararam a posição antes da votação, o que configura um “pré-julgamento”.
“Parlamentares têm papel de juiz e não podem declarar seus votos.  Na câmara, havia painel diário com votos no jornal. Indica prejulgamento. Se fosse um processo político, não haveria problema, mas em um processo jurídico-político há problema”, argumentou Cardozo.
“Partidos disseram que expulsariam políticos. O voto é de consciência e não partidário. Não pode haver fechamento de questão e orientação partidária, muitos ameaçando de expulsão. Não poderia ter ocorrido. Isso vicia esse julgamento, de acordo com essa jurisprudência”, completou o ministro.

Suspensões temporárias de atividades em alguns prédios públicos de Santa Cruz

A suspensão se deu devido ao incêndio ocorrido na última quarta-feira (28), que atingiu o depósito da Secretaria de Educação.
As Aulas da Escola Municipal Ivone Gonçalves de Araújo e atividades da Secretaria de Educação, Biblioteca Municipal, INSS e Núcleo de Informática estão suspensas temporariamente.
A medida é uma recomendação da Defesa Civil do município, com o intuito de resguardar a integridade física de funcionários, alunos e população em geral, decorrente do incêndio ocorrido na noite da última quarta-feira (28). O fato aconteceu no depósito da Secretaria de Educação que fica ao lado da Biblioteca Municipal, Núcleo de Informática, INSS e Escola Municipal Ivone Gonçalves.
A Escola Municipal Ivone Gonçalves de Araújo, Secretaria de Educação e INSS estão com previsão para voltar a funcionar na próxima segunda-feira, 02 de Maio. Porém a Biblioteca Municipal e o Núcleo de Informática senguem interditados em tempo indeterminado.
Informações da Assessoria – Secretaria de Educação.

Você gosta de dançar? Hoje é sexta-feira e também o Dia Internacional da Dança.  A dança sempre combina com diversão. Desejamos a todos uma sexta-feira muito alegre!

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Incêndio atinge o depósito da Secretaria de Educação de Santa Cruz do Capibaribe

20160427165402

Na noite desta quarta-feira (27), um incêndio atingiu o depósito da Secretaria de Educação de Santa Cruz do Capibaribe, localizado na Avenida 29 de dezembro, Centro.
Segundo as informações, por volta das 19h30, moradores da localidade perceberam o incêndio e acionaram os Bombeiros. As chamas atingiram e destruíram alguns equipamentos, arquivos, livros e alguns outros produtos inflamáveis, como tecidos que são utilizados em eventos, além de algumas bancas escolares.
20160427165349
Policiais Civis e Militares, além de quatro caminhões pipa foram acionados para tentar conter as chamas, já que uma parede próxima a biblioteca municipal desmoronou, além de algumas rachaduras.
iG8nhQ4C


SlRcVxFt
No local não há ninguém ferido, apenas danos materiais. O incêndio foi controlado próximo das 21h e em seguida, foi feito o rescaldo das chamas para evitar novos focos.
A área ficou isolada e a Polícia Civil investigará o caso para detectar as causas do incêndio. (Blog do Ney Lima)

DEU NO JORNAL VERTENTES NOTÍCIAS - OPINIÃO: A UNIÃO CALABAR


Depois de 3 anos de muitas especulações, alguns desentendimentos e muita torcida da oposição, a união do grupo CALABAR está prestes a acontecer. Nos programas do último sábado, tanto o prefeito Evilásio quanto o vice-prefeito Lero, deixaram claro para toda a população que as divergências existiram, mas não foram suficientes para rachar ao meio um grupo que em Taquaritinga é conhecido por FAMÍLIA CALABAR. 

É bem verdade que muitos usaram microfones, blogs, enfim, toda forma possível de comunicação, para externarem seus pontos de vista e suas discordâncias uns em relação aos outros.

Mas o grupo CALABAR é um caso a parte na política de nosso Estado e não apenas em Taquaritinga. É um grupo criado por homens de bem, nos meados dos anos 80, que buscavam dar ao nosso município um tratamento correto no uso da coisa pública. Assim, é um grupo que nunca teve e nunca terá dono. Aquele que tentar se apropriar, perceberá rapidamente que não logrará êxito. 

Na política nacional e estadual e até na local, vemos diversos exemplos de líderes que se distanciaram e depois se entenderam. Vertentes passou por isso quando houve a ruptura e em seguida a reaproximação entre Valdemar e Zé Neto; Santa Cruz já vivenciou isso com Edson Vieira e Diogo Moraes; Jarbas Vasconcelos voltou a ser aliado de Eduardo Campos. Enfim, se fôssemos relatar todos os casos de conhecimento público, levaríamos um dia só citando exemplos.

Em Taquaritinga, temos uma provável chapa de oposição, cujos pré-candidatos, logo após a derrota nas eleições de 2012, trocaram muitas farpas entre si,  mas que hoje resolveram se aliar, mesmo com suas indiferenças e devem ser confirmados como a chapa boca-preta que enfrentará a chapa CALABAR no próximo pleito de outubro.


Muitos fatores foram fundamentais para o fim dessa divergência no grupo CALABAR, mas acima de tudo pairou o sentimento de união e de que todos fazem parte de uma só família, que sempre buscou o bem para o nosso município. A presença do Deputado Estadual Diogo Moraes e do seu pai, o ex-deputado Oséas Moraes, juntamente com Fábio de Jairo, foram essenciais, ao mostrarem a importância da união de todos para que o grupo pudesse continuar a frente dos destinos de Taquaritinga, pois é do entendimento da maioria da população que esse é o melhor caminho a ser seguido pelo bem do município.


Dessa forma, o grupo vai unido para as eleições de outubro próximo e por ora, 4 nomes estão entre aqueles que serão indicados pela maioria para comporem a chapa CALABAR: o vice-prefeito Lero, que surge como favorito para o posto de candidato a prefeito; o Policial Rodoviário Federal Fábio de Jairo, coordenador de todas as campanhas vitoriosas do grupo; o empresário Gena Lins, que hoje é o nome preferido do prefeito Evilásio; e Júlio César, ex-secretário de Agricultura. Isso não impede que outros coloquem seus nomes para serem avaliados pelo povo, que é e sempre será o senhor da razão. 

A UNIÃO hoje é uma realidade, a FAMÍLIA CALABAR tá como sempre teve, unida em torno de um propósito, que é o bem de todo o povo do município. E mais uma vez ficou provada aquela máxima que diz que ninguém deve tentar desunir uma família, pois ela sempre se unirá para se defender daqueles que tentarem destruí-la.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Temer critica "golpe" da eleição antecipada

Dilma já admite possibilidade de enviar ao Congresso PEC para encurtar em dois anos o seu mandato
O Estado de S.Paulo
O vice-presidente Michel Temer criticou nesta terça-feira, 26, a proposta de antecipação das eleições presidenciais, que ganha força no PT e no governo. Em reunião com um grupo de sindicalistas, Temer chamou a iniciativa de “golpe”, recorrendo ao mesmo termo usado pela presidente Dilma Rousseff contra o processo de impeachment.
“Se essa iniciativa fosse tomada nos Estados Unidos, as pessoas ficariam coradas porque não há uma linha na Constituição sobre isso”, afirmou Temer, de acordo com relato de dirigentes de quatro centrais sindicais que estiveram com ele, no Palácio do Jaburu.
Na conversa, Temer disse que o impeachment está previsto na Constituição, mas considerou um “casuísmo” o plano de antecipar as eleições. Dilma já admite, nos bastidores, a possibilidade de enviar ao Congresso uma proposta de emenda constitucional (PEC) para encurtar em dois anos o seu mandato.

CORDEIRO AVIAMENTOS - PÃO DE AÇÚCAR


terça-feira, 26 de abril de 2016

Agricultora morre após cair de caixa d'água enquanto fazia selfie em PE

Mulher se desequilibrou e caiu de uma altura de aproximadamente oito metros. Caso ocorreu em São José do Egito; Polícia Civil local irá investigar o caso.


Do G1 Caruaru
7 dicas para tirar selfie
Imagem Ilustrativa
Uma agricultora de 27 anos morreu no domingo (24) após cair de uma caixa de água enquanto fazia selfie em São José do Egito, Sertão de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar, a mulher se desequilibrou e caiu de uma altura de aproximadamente oito metros.

Ainda segundo a PM, ela morreu no local. A Delegacia de Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar o caso.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

CONTA DE LUZ VAI FICAR MAIS CARA EM PERNAMBUCO A PARTIR DESTA SEMANA


Foi autorizado o novo reajuste da tarifa da energia elétrica, que passa a vigorar a partir da próxima sexta-feira (29) em Pernambuco.
De acordo com informações da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o reajuste atinge todas as faixas de consumo.
Para os chamados consumidores de baixa tensão (que se enquadram residências e o comercio em geral), a tarifa deve subir 14,44%.
Já para consumidores da alta tensão, que compreende as indústrias, esse aumento é um pouco menor: 10,91%.
Ainda segundo a Aneel, o reajuste é o autorizado anualmente para as empresas fornecedoras de energia, cujos valores se diferem em cada estado. (Informações da Aneel)

Só 39 senadores a favor da saída de Dilma do Governo

Folha de S.Paulo 

Ainda que o afastamento temporário da presidente Dilma Rousseff seja dado como certo até por senadores governistas, levantamento feito pelaFolha mostra que ainda não há votos suficientes no Senado para a saída definitiva da petista.
Enquanto 50 senadores confirmam que votarão pela admissibilidade do processo de impeachment, apenas 39 dizem que apoiarão o impedimento definitivo de Dilma.
"Não podemos ignorar que a Câmara deu autorização ao Senado para abrir o processo com 367 assinaturas, mas temos que analisar a fundo o mérito da questão para decidir se ela cometeu ou não crime de responsabilidade", afirmou o senador Cristovam Buarque (PPS-DF), que declarou voto a favor da admissibilidade, mas não decidiu sobre o julgamento final.
Com a aceitação do processo pelo Senado, em votação prevista para 12 de maio, Dilma será afastada do cargo por até 180 dias e o vice-presidente, Michel Temer (PMDB), assumirá o comando do país.
Para tanto, seria preciso, com a presença de todos os 81 senadores, o voto de 41 deles –ou seja, já haveria pelo menos nove votos a mais hoje.
Nesse período, a comissão especial do impeachment fará a análise do processo da presidente afastada e poderá, entre outros passos, realizar diligências, ouvir testemunhas, dar a possibilidade de a defesa se manifestar.
No caso de a comissão não encerrar os trabalhos no período de afastamento (180 dias), Dilma poderá reassumir o cargo
"O deputado atua mais ou menos como um promotor, que oferece a denúncia. Nós somos juízes e, até para dar esse caráter de foro, de corte, é preciso que haja isenção dos dois lados, e o que se espera de um juiz é que ouça a defesa primeiro", afirmou Roberto Rocha (PSB-MA).
Já para Dilma perder de vez o mandato são necessários 54 votos –neste caso, segundo enquete da Folha, faltariam no momento ainda 15 para atingir esse patamar.
Onze senadores não quiseram declarar seus votos sobre essa etapa e sete disseram que estão indecisos. Três não responderam à reportagem.
"Precisamos de mais tempo para analisar os documentos. Não dá para prejulgar", afirmou o senador Omar Aziz (PSD-AM), a favor do afastamento de 180 dias.
A senadora Ana Amélia (PP-RS) disse que tem posição definida, mas prefere não declará-la para evitar questionamentos.
"Todos sabem o meu posicionamento, mas somos juízes e, para não dar motivos para o PT judicializar o processo, prefiro não colocar a carroça na frente dos bois. Vamos avaliar o mérito da questão."
O governo tem o apoio de 21 senadores, contrários à condenação final da presidente. Contra a abertura do processo há 20 votos. A diferença é o ex-ministro Eduardo Braga, que estará afastado por licença médica na primeira votação. A abstenção conta a favor do governo.
Nesta segunda (25), o Senado instalará a comissão especial do impeachment, com 21 membros titulares e 21 suplentes. O colegiado terá dez dias úteis para aprovar um parecer e apresentá-lo em plenário.

Impeachment: povo queria que deputados saíssem junto

No último domingo, dia 17, menções nas redes sociais de prós e contra saída de Dilma Rousseff foram superadas pela crítica generalizada ao Congresso.
El País 
Desde a fatídica goleada de 7 a 1 que o Brasil levou da Alemanha, o país deixou para trás o rótulo do país do futebol. O que não se poderia imaginar é que, no lugar da bola, a política entraria no jogo. No último domingo, quando a Câmara dos Deputados aprovou o pedido de impeachment de Dilma por 367 a 137, a movimentação nas redes sociais com posts sobre o tema bateu um recorde no Brasil.
Estava em jogo o futuro do país e apesar das pesquisas mostrarem que havia uma maioria apoiando o impeachment da presidenta, nas redes sociais as manifestações contrárias à sua saída ganharam fôlego nas últimas semanas. Com esse cenário polarizado, esperava-se que as menções prós ou contra a saída de Dilma Rousseff prevalecessem. Porém, a aparição dos deputados e os seus discursos antes de votar no plenário chocou os brasileiros, que reagiram instantaneamente nas redes. A imagem ao lado mostra essa movimentação. Há cinco grupos: o lilás, o verde e amarelo, representando a indignação contra os parlamentares da Câmara, o azul, que é a rede da audiência a favor do impeachment, e o vermelho, dos usuários contra o impedimento. A imagem foi produzida por Fabio Malini, do Laboratório de Estudos sobre Imagem e Cibercultura (Labic), da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).
A partir dela, é possível ver que a polarização ficou em segundo plano e deu espaço para as críticas generalizadas à Câmara de maneira geral. O post com a marca impeachmentday que mais foi retuitado do dia, com mais de 7.000 publicações, não pedia a saída e nem a permanência de Dilma Rousseff na presidência. Mas listava, ironicamente, os argumentos dos deputados.

Lava-Jato no caminho de Temer à Presidência

O Globo 
O vice-presidente Michel Temer (PMDB), que já está se preparando para assumir o lugar da presidente Dilma Rousseff (PT) caso o impeachment seja aprovado pelo Senado, tem a Lava-Jato em seu caminho. O nome dele apareceu pelo menos quatro vezes nas investigações sobre corrupção desde o início da operação, em março de 2014.
Temer foi citado por dois delatores: o senador Delcídio Amaral (sem partido-MS) e o lobista Júlio Camargo, o mesmo que confessou pagamento de propina de US$ 5 milhões para o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Procurado pelo GLOBO, Antônio Mariz, advogado de Michel Temer, reconheceu as citações, mas negou qualquer irregularidade vinculada ao vice.
O nome do vice-presidente está registrado também numa planilha apreendida na sétima fase da Operação Lava-Jato com um dos ex-executivos da empreiteira Camargo Corrêa e numa troca de mensagens por telefone entre Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e Eduardo Cunha. 
Uma das primeiras referências a Temer apareceu num depoimento de Júlio Camargo ao grupo de trabalho da Procuradoria-Geral da República responsável pelas investigações sobre o suposto envolvimento de políticos com fraudes na Petrobras. Ao falar sobre o lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, que o teria ajudado a repassar a propina a Eduardo Cunha, Camargo mencionou também supostas ligações de Baiano com Temer e outros políticos do PMDB.

Genro é preso suspeito de matar e enterrar sogra em casa na Paraíba



Vítima estava desaparecida há uma semana e foi encontrada na despensa. Caso ocorreu em João Pessoa e suspeito confessou o crime, diz polícia.


Do G1 PB

Vítima foi encontrada enterrada na dispensa da própria casa, em João Pessoa. (Foto: Walter Paparazzo / G1)
Vítima foi encontrada enterrada na despensa da própria casa, em João Pessoa. (Foto: Walter Paparazzo / G1)
Um homem foi preso suspeito de matar e enterrar a sogra na despensa da própria casa, no bairro Jardim Cidade Universitária, em João Pessoa. Segundo a Polícia Civil, o crime teria ocorrido no dia 17, mas o corpo da vítima só foi encontrado na madrugada deste domingo (24), uma semana depois. Segundo a polícia, o genro confessou a autoria do crime e disse que pretendia ficar com os bens da vítima. Além do suspeito, outras duas pessoas foram conduzidas à delegacia para prestar depoimento.

De acordo com o delegado da Polícia Civil, Wagner Dorta, a vítima estava desaparecida desde o dia 17 de abril e após uma semana de investigação, policiais do serviço de inteligência receberam uma denúncia anônima de que a vítima estava enterrada dentro da própria casa. A mulher foi encontrada na despensa da residência.

“Depois dessa informação nós chamamos a filha da vítima e fomos até a casa. Durante uma varredura, um dos policiais desconfiou da cerâmica que revestia o piso da despensa, pois estava trocada e havia terra na casa do cachorro. Os policiais tiraram a cerâmica e depois que o corpo foi encontrado, ligaram a Delegacia de Homicídios”, disse o delegado.

Minutos após o encontro do cadáver, o suspeito foi preso próximo a um shopping, no bairro Bancários e assumiu a autoria. “Ele contou que praticou o crime no domingo (17) e enterrou a vítima na despensa. O suspeito conta que matou a vítima com as próprias mãos e que a intenção dele era ficar com o patrimônio da sogra”, disse Wagner Dorta.

Perícia desconfirou da cerâmica na dispensa (Foto: Walter Paparazzo / G1)
Ex-marido não percebeu mudança na cerâmica do
piso na despensa. (Foto: Walter Paparazzo / G1)
O ex-marido da vítima disse que ficou sabendo do desaparecimento da mulher na quarta-feira (20), após tentar falar com ela por telefone durante dois dias e não conseguir.

“Eu tinha viajado para Fortaleza, no Ceará, e na segunda-feira liguei pra ela, mas ninguém atendeu. Liguei na terça-feira e ninguém atendeu. Quando foi na quarta-feira eu liguei para minha cunhada e pedi pra ela ir na casa. Ela chegou lá e disse que achou estranho, pois não havia ninguém em casa e todas as luzes estavam acesas. Foi quando chamei um chaveiro e acionei a polícia”, disse ele.

O ex-marido da vítima conta que chegou a procurar a mulher dentro de casa e passou pela despensa, mas não percebeu a diferença no piso. “O chaveiro ainda achou estranho o piso estar molhado, mas pensamos que foi por causa da chuva”, frisou o ex-marido da vítima.

Uma vizinha da vítima disse que o genro morava na mesma casa dela havia pouco tempo, mas que a relação entre eles era marcada por conflitos. “Recentemente ela estava morando com a filha, o genro e um neto bebê. Com a filha ela tentava manter uma relação boa, mas, de um tempo pra cá, quando o genro veio morar junto, eles começaram a se desentender. Ela exigia que ele trabalhasse para sustentar a filha dela, mas ele não queria”, disse a amiga da família.

Ainda de acordo com a Polícia Civil o caso continua sendo investigado e outras pessoas devem ser ouvidas. Segundo o delegado Wagner Dorta, apesar da afirmação do suspeito de que o objetivo do crime era ficar com os bens da vítima, até o momento não existem indícios de que a filha da vítima teve envolvimento com o crime. “Depois da morte, o suspeito saiu de casa com a esposa”, disse o delegado.

Na manhã deste domingo, parentes da vítima informaram que estavam aguardando a liberação do corpo da mulher, que será encaminhado para a cidade de Condado, no Sertão paraibano, onde será velado e sepultado. O enterro deve acontecer ainda neste domingo, devido o estado de decomposição que o corpo foi encontrado.

domingo, 24 de abril de 2016

CADÁVER É ENCONTRADO PARCIALMENTE SOTERRADO NA ZONA RURAL DE FREI MIGUELINHO


Um cadáver foi encontrado parcialmente soterrado no final início da noite da última quinta-feira (21) no Sítio Furnas na zona rural do município de Frei Miguelinho no Agreste de Pernambuco.  A maior parte do corpo do sexo masculino e de cor branca estava enterrada, ficando descoberto apenas as penas e o tórax. Mesmo em estado de putrefação foi possível à equipe da Polícia Civil, responsável pelo levantamento cadavérico, visualizar uma possível perfuração no pescoço, provavelmente provocada por um disparo de arma de fogo.


O cadáver foi encontrado com a ajuda do Disque-Denúncia Agreste que recebeu denúncias anônimas informando a localização do corpo que foi encaminhado ao SVO (Serviço de Verificação de Óbito) do Recife. Por enquanto o caso está sendo tratado como morte a esclarecer. Do: Blog Agreste Notícia

Lista bomba da Odebrecht: Teori manda investigar

Planilhas trazem o nome de mais de 200 políticos ao lado de valores
O Globo
Democrática, a lista menciona desde os senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e Romero Jucá (PMDB-RR), nomes fortes da oposição, ao senador Humberto Costa (PT-PE), que é líder do governo no Senado. Para alguns, as planilhas traziam apelidos. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, é tratado de “Caranguejo”; a ex-deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB-RS), de “Avião”; o prefeito do Rio, Eduardo Paes, de “Nervosinho”; e Jaques Wagner, atual chefe de gabinete da presidente Dilma Rousseff, era o “Passivo”.

Relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, o ministro Teori Zavascki determinou que a Procuradoria Geral da República (PGR) faça uma investigação preliminar sobre a lista de pagamentos da Odebrecht encontrada na 23ª fase da operação que apura desvio de dinheiro da Petrobras. As planilhas, que estavam na casa de Benedicto Barbosa Silva Júnior, executivo da Odebrecht Infraestrutura, trazem o nome de mais de 200 políticos ao lado de valores. Depois da análise, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, poderá pedir a abertura de inquérito contra os citados na relação com os supostos repasses.

Teori também decidiu devolver ao juiz federal Sergio Moro, que cuida da Lava Jato em Curitiba, investigações relacionadas à Operação Acarajé -- cujo alvo principal foi o marqueteiro João Santana, que encabeçou campanhas de Lula e Dilma, e a mulher dele, Monica Moura -- e à Operação Xepa, derivada da anterior. Como a lista da Odebrecht, encontrada durante a Operação Acarajé, traz nomes de políticos com foro privilegiado, Moro havia submetido as apurações ao Supremo. Mas Teori entendeu que a Justiça Federal deve permanecer com as investigações, já que não alcançaram pessoas com foro. As planilhas, porém, ficarão a cargo do Supremo.
Nas planilhas, encontradas pela Polícia Federal ao cumprir mandados da Operação Acarajé, há nomes de governistas e da oposição. Os supostos repasses teriam sido feitos durante as eleições de 2010, 2012 (no pleito municipal) e 2014. Os investigadores tentam saber se, de fato, houve transferência dos recursos e se as operações irrigaram um esquema de caixa 2 durante as campanhas. Mesmo que sejam doações legais, a suspeita é que se trata de dinheiro desviado de contratos com o Estado.

“Exportação” da crise expõe Brasil dividido

Imprensa internacional, alvo de governo e oposição, alerta que conquista da opinião pública global pouco impacta na política interna
O Globo - Henrique Gomes Batista
A crise política brasileira mudou sua sede, nos últimos dias, para Nova York. A visita da presidente à ONU, a ofensiva da oposição com entrevistas com meios de comunicação estrangeiros, além do feriado no Brasil, fez a cidade americana ter seus momentos de Brasília. Alvo principal da investida dos dois lados, a imprensa internacional destaca que, neste momento, conquistar a simpatia da opinião pública global pode pouco auxiliar qualquer uma das duas frente de batalha.
Dilma Rousseff passou 29 horas em Nova York entre a noite de quinta-feira e a madrugada de sábado, quando partiu para o Brasil. Exceto seu discurso na ONU e a assinatura do acordo climático -- motivo de sua viagem -- a presidente praticamente usou todo seu tempo em solo americano para falar com jornalistas, de veículos estrangeiros ou brasileiros. A mandatária brasileira não teve nenhuma reunião bilateral com representantes de outros países na sede das Nações Unidas - pelo contrário, trocou o almoço oferecido aos mandatários internacionais na entidade a uma visita ao MoMa.
A batalha do impeachment pelas páginas dos jornais estrangeiros vive a terceira leva, em duas semanas: passou de uma onda positiva para Dilma, quando os veículos destacaram que a maior parte dos defensores de sua saída do governo possuem graves acusações de corrupção e auxiliaram no discurso de vitimização da presidente. Depois, viveu o contra-ataque do vice presidente Michel Temer, que defendeu em entrevistas seu governo de "salvação nacional" e a legalidade da queda de Dilma e culminou agora com a mostra da polarização do país. Se Dilma priorizou os jornalistas, a oposição enviou uma “força-tarefa” com deputados para servir de contraponto ao discurso oficial.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Vídeo registra momento em que onda derruba parte de ciclovia no Rio de Janeiro

O secretário municipal de governo, Pedro Paulo, disse que o acidente foi fruto de uma "forte ressaca, uma onda que bateu de baixo para cima" na pista

Os dois corpos foram retirados das águas por uma equipe do Corpo de Bombeiros, com o apoio de um helicóptero, que continua fazendo varredura no local em busca de outras possíveis vítimas.

Um vídeo que mostra o momento exato em que parte da ciclovia Tim Maia desaba está circulando nas redes sociais, nesta quinta-feira, 21. 

Três sequencias de ondas são registradas, e o desabamento fica nítido após o impacto da segunda onda. No vídeo, também é possível ver pessoas que haviam acabado de passar pelo local e que continuam caminhando em direção ao Leblon. 

O acidente deixou dois mortos e um desaparecido, informou o Corpo de Bombeiros. O secretário municipal de governo, Pedro Paulo, disse que o acidente foi fruto de uma "forte ressaca, uma onda que bateu de baixo para cima" na pista. Ele confirmou o balanço de dois mortos e um desaparecido.


Um dos mortos foi identificado por parentes no Instituto Médico Legal Afrânio Peixoto (IML) como sendo Eduardo Marinho Albuquerque, de 54 anos. De acordo com a assessoria da corporação militar, não havia ainda informação sobre a identificação da segunda vítima. O mar revolto em virtude da forte ressaca dificulta as buscas.
O pescador Damião Pinheiro, de 60 anos, morador da Rocinha, foi testemunha do desabamento de parte da Ciclovia Tim Maia, inaugurada em 17 de janeiro deste ano, envolvendo investimentos da ordem de R$ 44 milhões.
Pinheiro acabava de passar na ciclovia, que frequenta todos os dias da semana em sua profissão, quando ouviu um estrondo e, ao olhar viu parte da estrutura desabar, levando ciclistas e pedestres que estavam no trecho afetado. Ele disse ter parado para ver as pessoas batendo fotos, quando, de repente, veio uma onda, tirou a passarela do lugar e “jogou ela para cima como se fosse um isopor”.
''As pessoas que estavam em cima caíram junto com a passarela, a água que subiu bateu em um ônibus, quebrou os vidros do veículo, e ao descer levou as pessoas com ela”. Muito nervoso, Damião Pinheiro disse ter visto a morte bem de perto. “Eu pensei que também ia [morrer], porque a minha [parte da ciclovia] também balançou”, disse.
O pescador não tem dúvidas que uma nova ressaca poderá por abaixo novos trechos da ciclovia. “Ela não é presa a nada, é solta. Qualquer onda alta que vier no costão vai botar toda a ciclovia no mar”, afirmou.

Responsabilidades

O secretário municipal de Governo do Rio de Janeiro, Pedro Paulo, disse que a prioridade agora é com o resgate das vítimas e a interdição da avenida para evitar riscos de novos desabamentos. “Porque na medida em que você tem esse desabamento aqui, põe em dúvida a segurança de outros pontos que têm a mesma configuração de engenharia”. A Avenida Niemeyer ficará interditada para a circulação de pessoas. O secretário informou que engenheiros, geotécnicos e técnicos irão avaliar as causas “desse acidente imperdoável que aconteceu na ciclovia”.

A prefeitura pretende cobrar responsabilidades da empresa construtora da obra, a Concremat. O prefeito Eduardo Paes, que se encontrava na Grécia para a solenidade de acendimento da tocha olímpica, já está retornando ao Brasil, disse Pedro Paulo.

O secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, acrescentou que é prematuro apontar culpados. Disse que embora toda ressaca seja prevista, somente após a perícia que será feita no local e de posse dos resultados das investigações, haverá elementos para indicar as causas reais do desastre. A fiscalização da obra foi feita pela Geo-Rio, empresa ligada à Secretaria de Obras. “Na verdade, a gente tem que sentir a força da energia dessa onda para poder informar as consequências”.  Para o secretário, “não há como dizer claramente agora quais as causas que contribuíram para ter esse acidente”. Apesar disso, ele estimou que os responsáveis são a empresa construtora Concremat e Concrejato e seus calculistas.
Alexandre Pinto declarou que a avenida só poderá ser liberada para os moradores depois que as  investigações sobre as causas da tragédia forem concluídas, de forma a garantir segurança para uma a abertura da via.
Nota Oficial

Em nota, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, lamentou profundamente o acidente e se solidarizou com as famílias das vítimas “e com todos os cariocas neste momento”. O prefeito atenderá a imprensa na sexta-feira, 22,  assim que chegar ao Brasil, ainda sem previsão de horário.

É imperdoável o que aconteceu, já determinei a apuração imediata dos fatos e estou voltando para o Brasil para acompanhar de perto”, manifestou o prefeito, que saiu na quarta-feita (20) à noite do Rio.
Ainda de acordo com a mensagem divulgada pela prefeitura, os reparos serão executados pela empresa responsável pela construção, sem ônus adicionais ao município, já que a ciclovia ainda está na garantia de obra. A Avenida Niemeyer permanece interditada ao tráfego e o Corpo de Bombeiros continua as buscas no local.
Redação do Blog Pão de Açúcar News com informações da Agência Brasil